A Cidade de Ulisses

Um convite para uma exposição sobre a Cidade de Lisboa, abre o caminho para um diálogo interior, pretexto para o personagem se revelar através das suas memórias que se  fundem com a história dos locais dessa vivência. Lisboa, cidade criada por Ulisses, oferece essa dimensão onírica e intemporal. A urgência das coisas da vida, como o internamento da mãe, segue o mesmo roteiro narrativo sem que tenhamos a noção concreta da localização do personagem. Este pode estar a reviver tudo a partir da sua cama ou sentado no sofá, de comando na mão, prestes a acender o televisor. A mente é uma viajante intrépida pela vida, locais e amores.

Lisboa, as suas lendas e história são o pretexto. Podia ser outra cidade qualquer, mas só esta foi criada por Ulisses.

“O mundo era redondo, qualquer lugar, a partir do qual se olhasse, podia ser o centro: a Europa ou a América, a África, a Ásia.

Teolinda Gersão, Sextante Editora, 2011

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Livros com as etiquetas . ligação permanente.

4 respostas a A Cidade de Ulisses

  1. Fico feliz por aprovares.

  2. Gosto de diálogos interiores.
    E a propósito de Llisboa/Ulisses, ainda mais…
    Interessante.
    Um abraço, caro amigo.

  3. Caro amigo, passei para te desejar um Feliz Natal e um ano de 2012 cheio de coisas boas para ti e para a tua família.
    Abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s