A inexistência eterna

Os livros que não se vendem são enviados para incineradoras e perdem-se para sempre. Fumo, vapor de água e algum Co2 à mistura; nada mais.

ler mais aqui

Anúncios
Esta entrada foi publicada em PNet Literatura. ligação permanente.

5 respostas a A inexistência eterna

  1. Pata Negra diz:

    Cred0! mas estorvam assim tanto!? Os livros que não se vendem, devem dar-se! Podem estimular o gosto pela leitura e daí, estimular a venda dos próximos!
    Um abraço contra a incineração!

  2. As coisas estranhas que os homens fazem…
    até parece que temem a revolta das palavras!

  3. Quem queima livros devia ser preso…
    Um abraço, caro amigo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s