Vinte e seis e mais uma. Máximo Gorki

Vinte e seis homens numa cave, presos a um trabalho ingrato de fazer biscoitos, recebem a visita regular de uma menina. Um anjo que lhes proporciona o momento especial do dia, pelo qual todos esperam “empurrando-nos uns aos outros, e ela entra, tão alegre, tão encantadora, segurando o seu avental.”

“Dizemos-lhe palavras especiais – palavras que reservamos exclusivamente para ela.”

“Mas, mesmo depois de se ter ido embora, ela continua a ser o tema da nossa conversa, dizemos o mesmo que dissemos na véspera e no dia anterior, porque tanto ela como nós e tudo o que nos rodeia somos os mesmos da véspera e do dia anterior. Torna-se muito difícil e doloroso viver quando nada muda à nossa volta e, se isso não nos mata de vez a alma, então, quanto mais vivemos, mais dolorosa se torna a imobilidade daquilo que nos rodeia.”

O mundo dos homens não é mais do que uma cave escura, onde, mesmo assim, existe sempre quem viva acima de nós: “Não gostávamos dos padeiros porque tínhamos inveja deles: o seu trabalho era mais fácil do que o nosso, recebiam mais, tinham refeições melhores, uma sala de trabalho mais espaçosa e iluminada do que a nossa e eram• todos limpos e saudáveis… em comparação connosco.”

Vivemos numa escuridão que se contenta com a simulação de um rasgo de luz, por mais breve que seja. Um pontinho luminoso que nos substitua a esperança.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Livros com as etiquetas . ligação permanente.

2 respostas a Vinte e seis e mais uma. Máximo Gorki

  1. José Luís Outono diz:

    …vivemos numa cave escura, onde tentamos escrever brilhos de liberdade, mesmo nos gumes das esquinas da vida.
    O homem será sempre um grama de todos os momentos da construção deste mundo, onde encontra os traços da sua identidade, nos espelhos ocasionais das contendas.

    • No fim do conto, os homens, em fúria, regressam ao seu mundo escuro da cave, sem mais réstea de esperança. Não conseguiam suportar mais aquele ponto de luz que os visitava todos os dias. Muito intenso este conto.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s