Rebeldia editado em inglês

O romance de Cristina Carvalho, Rebeldia, foi editado em inglês pela Linda Leith Éditions (Canadá), com uma frase minha na capa, retirada da recensão publicada no Acrítico.

Deixo-vos com um excerto deste rebeldia:
“Escrevo-vos, sentada neste escritório a dar para uma paisagem que me é muito familiar. Eu desenho pessoas. Não as desenho como se fosse um artista, mas como escritora. Desenho-lhes os interiores dos cérebros, os pensamentos, as idiossincrasias, manias, hábitos, sentimentos. É isto que eu desenho. Adoro pessoas. Esta é a verdade. Devoro-as, retiro-lhes as gorduras, transformo-as. Desenho-as belas ou repugnantes. É conforme me dá. Provavelmente, todas estas sensações remontam à época das pocilgas…”

rebeldia, de Cristina Carvalho, 2017, Planeta. Continuar a ler

Anúncios
Publicado em Livros | Etiquetas | Publicar um comentário

Salvação | apresentação

Neste romance encontramos a mestria de quem sabe mergulhar no interior dos personagens revelando a sua alma, nessa interminável busca pelo sentido da finitude da vida de que, afinal, nenhuma religião nos salva. (Acrítico – leituras dispersas) Continuar a ler

Publicado em Eventos | Etiquetas | Publicar um comentário

Acrítico – leituras dispersas

Biblioteca de leituras a merecer uma visita.                                                #blogAcrítico

Publicado em Uncategorized | Publicar um comentário

O Caso da PIDE/DGS

No Muito de Cá de Casa foi noite de casa cheia. Irene Pimentel falou do seu mais recente livro, O Caso da PIDE/DGS, e a sala correspondeu colocando questões, partilhando experiências ou histórias dos seus familiares. A justiça transicional neste mundo conturbado desfilou na voz assertiva da autora. Houve quem pretendesse confirmar se Cavaco foi colaborador da PIDE, e quem colasse nomes e rostos aos algozes da ditadura. Continuar a ler

Publicado em Casa da Cultura de Setúbal | Etiquetas | Publicar um comentário

Prémio Ficção – Tabula Rasa 2016-17

O autor sobe ao púlpito e agradece a distinção que lhe foi atribuída. Adianta-nos que não vai falar da obra galardoada mas do seu trabalho. Decide então contar-nos uma história do seu bisavô, homem austero que vivia no Alentejo e que perante as modernices de Lisboa (ou dos seus subúrbios), mantinha uma prudente reserva, recusando qualquer adesão ao seu fascínio. Os mais novos, perante a obstinação do idoso, rejubilavam com a possibilidade de o irritar com algumas diabruras. Continuar a ler

Publicado em Eventos, Tabula Rasa | Etiquetas , | 1 Comentário

Tabula Rasa 2017

Iniciou-se hoje o Festival Literário de Fátima que distinguiu o escritor Bruno Vieira Amaral com o prémio de melhor ficção 2016-17, com a obra “hoje estarás comigo no paraíso”.

Pode ler aqui a minha recensão ou escutar a entrevista que o autor deu ao Movimento Acrítico.

A obra foi editada pela Quetzal.

O autor recebe o prémio no próximo dia 18, da parta da manhã, no hotel de Stª Maria em Fátima.

 

Publicado em Eventos, Tabula Rasa | Etiquetas | Publicar um comentário

Interpelar – o objeto livro

O editor é quem escolhe o que publica, tem esse papel, isso define a marca da sua editora. Luís Carmelo fala-nos do papel do editor e da Abysmo.

A ilustração deve dar corpo ao não dito, mais do que ilustrar de forma linear uma passagem do livro. Continuar a ler

Publicado em apontamento | Etiquetas , | Publicar um comentário