Outono da Vida

Sobre a imensidão repousa o nosso olhar. O do poeta é feito de filtros, inquietude e exaltação. Janela deslizante sobre o mundo em forma de onda que, numa praia, irrompe o seu caminhar como um verso se quebra em rima.

ler mais aqui

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Livros, PNet Literatura com as etiquetas . ligação permanente.

4 respostas a Outono da Vida

  1. com um verso se quebra

    com outro se constrói

    um beijo, António

  2. O poeta transforma a realidade em ficção…
    Um abraço, caro amigo.

  3. Desculpa irromper agora aqui com isto, mas já conheces a Cozinha de Ganhões, de Estremoz?

    http://manuelacolaco.blogspot.com/2011/11/portugal-nos-feriados-iii.html

    😉

  4. Caro amigo, nesta minha visita semanal, desejo-te um bom resto de semana.
    E bom feriado, que deve ser o último 1º de Dezembro…
    Abraço.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s